Referenciação

As referências são primordiais para o texto acadêmico. É a partir delas que o seu leitor ou sua leitora pode acessar diretamente as fontes usadas (caso necessário), e que se garante aos autores e/ou às autoras citados(as) o devido crédito por sua produção intelectual, respeitando a ética do mundo acadêmico.

Há uma diferença importante entre as expressões “referências bibliográficas” e “bibliografia consultada”.

Referências bibliográficas: é uma lista com as obras efetivamente citadas no texto. Todas as obras citadas no texto devem estar nas referências bibliográficas. Do mesmo modo, todas as obras presentes nas referências bibliográficas devem aparecer pelo menos uma vez no texto (mesmo que essa ocorrência seja como obra usada de fonte para uma tabela ou ilustração, por exemplo).

Bibliografia consultada: obras que possam ter sido consultadas e que possam ter contribuído para o(a) autor(a) na concepção do estudo, ou em um entendimento específico, ou na própria execução do trabalho, porém que não estão presentes diretamente no texto. Podem ser consideradas como obras complementares ou leituras sugeridas, materiais de referência extra.

Enquanto publicações em formato de livro podem oferecer tanto referências bibliográficas quanto bibliografia consultada, os trabalhos acadêmicos (como teses e dissertações), de modo geral, apresentam somente as referências bibliográficas.

A referenciação dos materiais na lista de referências bibliográficas deve seguir as normas da ABNT, a menos que haja indicação contrária – por exemplo, alguns periódicos ou programas de graduação e pós-graduação estabelecem regras próprias com pequenas variações em relação ao postulado pela ABNT; se esse for o caso, as regras do periódico ou programa em questão devem prevalecer.

As normas da ABNT para referenciação estão listadas na NBR6023.

No link a seguir, o Professor Doutor Vilson Leffa apresenta as principais regras: http://www.leffa.pro.br/textos/abnt.htm