Ética

Seja qual for sua área de estudos e a natureza de sua pesquisa, é fundamental a observação de princípios éticos na produção de conhecimentos. A falta de ética diminui o valor científico (e também humano!) do pesquisador, mancha sua reputação e carreira, e pode comprometer até mesmo a instituição à qual ele está vinculado.

Ser ético significa ser íntegro, ter caráter e agir de acordo com o que é honesto, moral e justo. Em termos de pesquisa e produção de conhecimentos, agir de modo ético implica em:

  • não apropriar-se indevidamente de pensamentos de outros. Deve-se referenciar claramente o que é ideia própria sua e o que é ideia, pensamento ou contribuição de terceiros, evitando-se qualquer ocorrência, por menor que seja, de plágio. Ou seja, qualquer informação ou argumento presente em seu estudo que não for de sua própria autoria deve ser claramente creditado ao verdadeiro autor. Isso se dá pelas citações e referenciação;
  • não adulterar informações das fontes teóricas. Isso significa que, no uso de citações diretas ou paráfrases dos estudos de outras pessoas, não se pode creditar ao autor ou autora uma ideia diferente daquela efetivamente defendida por ele ou ela;
  • não adulterar informações da coleta de dados ou de seus resultados. Isso diz respeito a apresentar honestamente os dados de sua coleta e os resultados de sua pesquisa. Não se pode aumentar, minimizar, omitir ou inventar dados diferentes dos efetivamente coletados, mesmo que os dados de fato coletados imponham limitações ou respostas negativas às suas hipóteses de pesquisa. Lembre-se que o fato de suas hipóteses não serem confirmadas não significa que seu estudo não tenha importância. Pelo contrário: você pode (e deve) escrever seu texto, mostrar os seus resultados, oferecer explicações com relação ao motivo da não confirmação de suas hipóteses e detalhar as limitações de seu estudo. São esses momentos de discussão que mostram seu amadurecimento acadêmico e que fazem de você um bom pesquisador;
  • não menosprezar ou ridicularizar outros pesquisadores, outras metodologias ou outras áreas de estudo e de conhecimento. Todos merecem respeito e tratamento digno, mesmo que existam discordâncias em pontos de vista;
  • informar sempre, de modo correto e completo, todas as fontes da pesquisa, sem jamais dificultar o acesso às mesmas através de informações errôneas, incompletas ou confusas;
  • assumir honestamente os papeis de cada autor na pesquisa, sem apresentar como autor um pesquisador que não participou do trabalho;
  • informar possíveis conflitos de interesse do autor, caso o mesmo tenha qualquer relação de ordem financeira (ou outras) com o objeto (entidade) estudado na pesquisa;
  • em pesquisas envolvendo seres humanos, apenas agir mediante aprovação do conselho de ética de sua instituição e/ou curso (se houver um) e consentimento dos sujeitos participantes, e somente segundo o que tiver sido acordado entre as partes, quando do aceite da participação do sujeito na dada pesquisa. Também deve-se respeitar a confidencialidade da participação no processo, e garantir-se a privacidade do sujeito.

Mais informações sobre ética na pesquisa com seres humanos, em conformidade com a Resolução 196/96 do Conselho Nacional de Saúde, podem ser encontradas na referência abaixo:

http://conselho.saude.gov.br/web_comissoes/conep/aquivos/resolucoes/23_out_versao_final_196_ENCEP2012.pdf